Silêncio e tanta gente



Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro o amor em teu olhar
É uma pedra
Ou um grito
Que nasce em qualquer lugar

Às vezes é no meio
de tanta gente
Que descubro afinal aquilo que sou
Sou um grito
Ou sou uma pedra
De um lugar onde não estou

Às vezes sou também
O tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar

Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não
E troco a minha vida
por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro as palavras por dizer
É uma pedra
Ou um grito
De um amor por acontecer

Às vezes é no meio de
tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que sou [Maria Guinot]

Vencedor do Festival Eurovisão da Canção 2009


Não tenho a certeza que o melhor nele seja a voz...



Tem 23 anos, nasceu na Bielorrúsia e representou esta noite a Noruega (para onde se mudou aos 4 anos) no Festival Eurovisão da Canção, sagrando-se o grande vencedor por larga margem, com este "Conto de Fadas". Revelou-se na versão norueguesa do "Ídolos" em 2005, chegando às meias-finais e hoje é o grande destaque da Noruega.

O de sempre...

Num dia finjo-me preparado, no outro carrego a esperança que sei não haver. Num dia finjo um sorriso, no outro choro por te ver partir. Gostava de te dizer tantas coisas, talvez as mesmas que dizes com esse olhar vidrado. Custa-me ver-te sofrer, custa-me saber que sofres, custa-me muito saber que vês a vida escorregar-te pelas mãos.
Sabes, ando sem vontade de fazer nada. Irrito-me com tudo e não tenho paciência para nada. Talvez só tenha mesmo vontade de te olhar e de te segurar a mão. Cada dia que passa deveria ser de habituação mas é, afinal, de sofrimento maior. Penitencio-me por ser egoísta. Porque, mesmo vendo-te sofrer, não sou capaz de dizer o que outros dizem. Prefiro continuar a pensar que contornarás a improbabilidade e que te continuarei a ter perto de mim.

Suspiros

Sim, eu ouvi um dos teus últimos. E sim, eu também te amo. Muito. Proporcionalmente à dor que sinto.

Silence 4 - Eu não sei dizer

Eu nao sei.../Tanto, sobre tanta coisa/Que as vezes tenho medo/De dizer aquelas coisas/Que fazem chorar/E nao me perguntes nada/Eu nao sei dizer...

Ídolos

15 anos, vi morrer um.

Amália Hoje - Foi Deus

Obrigado. Por todo este álbum extraordinário.
Obrigado. Por cada um destes arranjos.
Obrigado. Por serem a "banda sonora" do meu choro compulsivo.


"Amália Hoje" é um sério candidato a álbum do ano. Pela surpresa e pela qualidade. Acho que Amália iria gostar.

La Palice?

Há instantes ouvia um jovem a ser entrevistado a propósito do 1 de Maio. Ficou-me na memória uma frase.

Para o futuro? Mais emprego e menos trabalho.

Talvez seja esse o pensamento da maioria dos portugueses...