Por falar nele...


Este Carnaval quero-me vestir de sonhos. Daqueles sonhos, mesmo mesmo sonhos, que de tanto serem sonhos, até parecem reais. E quero dançar a noite toda com a realidade. Pode ser que eles a convençam a trocar de lugar...


Neste Carnaval...




... não é diferente. Coloque-lhe a 'máscara' e divirta-se.

Ricardo Araújo Pereira no seu melhor

Excelente, como sempre!

Tatuagens

Estás a ver J? Se fosses "gaja" esta seria uma hipótese... :)


Haka Barrosã

Porque sei que estás por aí...


... o mais forte abraço que a virtualidade permita.

Alguém pára o relógio?


Trabalho a mais e tempo a menos. Eis o resultado da falta de motivação que me tem acercado nos últimos dias. E, como bom português, cá estou eu a tentar ver se o relógio anda para trás em vez de assustadoramente "bater as horas" que não quero. Tenho um mau pressentimento para amanhã. A juntar a isso, uma resposta negativa de um dos rounds da semana passada. Como me fazia falta saber fazer parar o tempo. Ou tentar que a cabeça pense apenas no trabalho. Bem, vou regressar ao mesmo. Era só para desanuviar um pouco...

Hoje, estou a precisar...

A culpa é naturalmente do... Ministro


Soube há pouco, que morreu um periquito, esta madrugada, aqui no prédio. Segundo me disseram, o INEM, demorou mais do que aquilo que seria normal, pelo que não conseguíram fazer nada pelo bicho.
A família tenciona apresentar queixa.

Ainda na saúde, e segundo a TVI, um senhor foi mandado embora do Hospital de Vila Real com pouca roupa... Já a SIC, diz que um homem morreu no Hospital. É de facto uma anormalidade... Só neste país...

Mundos mudos

"Muda o teu mundo que eu já mudei o meu."

Mi encantas

Quero ver-te de novo. Esplendorosa. Cintilante. Imperial. Gigante. Cidade do meu imaginário. Quero voltar a pisar-te, a sentir-te, a "abraçar-te". Hoje em pensamento, em breve, espero, na realidade.

Sem...

Vontade. Motivação. É assim que me sinto hoje. Arrasado por planos falhados, lutas perdidas ou conquistas não concretizadas. Amanhã talvez acorde melhor. Mas hoje acho que vou mesmo adormecer assim. E com tanto trabalho pela frente, só vejo as horas a passar e a vontade a não aparecer. Dava tudo por algo que me fizesse sorrir hoje.
"Que hacer cuando la única persona que te puede parar de llorar es la que te hizo llorar?"

Dúvida existencial

Quando vale a pena arriscar?

Aula de sexo anal

O vídeo dispensa qualquer comentário. Vejam e ouçam... Muito bom :).


Via LusoBoy

Amor

Não te vi, mas senti-te. Estavas lá hoje. Não eras meu, mas foi bonito de se ver. Brotavas dos olhos de alguém. Alguém imensamente apaixonado. Alguém preenchido. Alguém que encontrou quem é capaz de acolher os seus sorrisos, de prolongar cada gesto, de adivinhar cada ideia ou pensamento. Hoje sorri. Vi que fizeste realmente das tuas e uniste de uma forma ímpar aqueles dois. Hoje senti-me pequeno, a cada palavra, a cada suspiro. Hoje tive saudades de quando podia dizer, num sorriso rasgado "é tão bom estar apaixonado". É tão bom chorar por o coração ser pequeno demais para um sentimento tão grande. É tão bom acordar e adormecer com o sorriso correspondido de alguém.
Eles sabem que tenho uma especial admiração pelos dois. Eles sabem que torço muito por eles. E eu e os amigos sentimos, que ali há mesmo amor, do mais puro, do mais sincero. A cada dia maior, cada dia mais intenso. Fico(amos) feliz(es), por vê-los tão felizes.



Refrão:

Quero
Ficar contigo, agora e para sempre
Nadar no teu corpo – eternamente
Teus sonhos os meus serão
Meus sonhos os teus serão

in Paixão - Da Weasel

Obrigado

Pela companhia e pelos sorrisos. Hoje foi na tua música que ancorei todos os meus sonhos.

Heath Ledger (1979 - 2008)

Mau gosto

Tal como vi por aí, sinceramente não sei o que será mais assustador, se a própria notícia - de alguém que mata e cozinha a namorada (não voltem a dizer, por favor "ah, comia-te toda(o)"), se a forma como a notícia é escrita, num sítio online de um jornal de referência - Expresso - chegando ao cúmulo de escrever algo como:

"Os polícias viram, ainda, sobre a mesa, um prato com suculentos pedaços de carne humana espetados num garfo..."

Toda a notícia, para ler aqui.

O mau gosto, não tem limites!

Pássaro

Quero voar na tua asa. Em busca de quem ainda não encontrei. Numa terra algures perdida. Leva-me para um mundo diferente. Um, em que quem tenha a oportunidade com que um dia tanto sonhamos não a perca jamais...

Devaneios

Depois de ver o Prós e Contras tenho uma sugestão. Não dá mesmo para proibir aquela historiadora de abrir também a boca?


Imbranato



E’iniziato tutto per un tuo capriccio
Io non mi fidavo. era solo sesso
Ma il sesso è un’attitudine
Come il’arte in genere
E forse l’ho capito e sono qui

Scusa sai se provo a insistère
Divento insopportabile, io sono
Ma ti amo…ti amo…ti amo
Ci risiamo..vabè, è antico, ma ti amo

Scusa se ti amo e se ci conosciamo
Da due mesi o poco più
Scusa se non parlo piano
Ma se non urlo muoio
Non so se sai che ti amo..
Scusami se rido, dall’imbarazzo cedo
Ti guardo fisso e tremo
All’idea di averti accanto
E sentirmi tuo soltanto
E sono qui che parlo emozionato
E sono un imbranato!
E sono un imbranato!

Ciao..come stai? Domanda inutile!
Ma a me l’amore mi rende prevedibile
Parlo poco, lo so..è strano, guido piano
Sarà il vento, sarà il tempo, sarà…fuoco?

Scusa se ti amo e se ci conosciamo
Da due mesi o poco più
Scusa se non parlo piano
Ma se non urlo muoio
Non so se sai che ti amo..
Scusami se rido, dall’imbarazzo cedo
Ti guardo fisso e tremo
All’idea di averti accanto
E sentirmi tuo soltanto
E sono qui che parlo emozionato
E sono un imbranato!
E sono un imbranato!

Luares de Janeiro

20 de Janeiro de 2007 - A Lua Cheia vista de minha casa

Hoje voltaste a ser vaidosa. Fizeste-me lembrar alguém. Saiste à noite linda, deslumbrante, cintilante. Confesso que não me contive e quebrei-te a privacidade. Claro que as fotos, pelo menos tiradas por mim, não são capazes de transmitir toda a tua beleza, mas ainda assim ficaste bem. Acho que ficava toda a noite a olhar para ti. Num abraço apertado. Sim, porque não preciso de chegar-te para te abraçar.

Aliás, tu e o mar deram-me, nos últimos dias, alguma da energia que havia perdido. Espero que seja útil numa semana importante para mim, com dois "rounds", dos quais espero sair vencedor em pelo menos um. Já agora e se não for pedir muito vê lá se "iluminas" a semana de quem te pedi... Agora vou-te deixar. Até amanhã!

Amizades


"Um dia o amor perguntou à amizade :
- Para que existes tu se já existo eu?
A amizade respondeu:
- Para repor um sorriso onde tu deixaste uma lágrima. "


(excerto retirado da net)

Hibernar



De vez em quando também preciso...

Música

É complicado estar apaixonado… Cada dia que passa se torna mais difícil. Acordo, caminho, choro, viajo, vivo, sinto, divirto-me, danço, adormeço e sonho contigo. Contigo nunca me sinto sozinho. És como uma droga. Uma droga que me causou dependência tal que quero-te mais e mais. Cada “dose” tua precisa de ser cada vez maior para me sentir bem. Que sentimentos são estes que me tornam tão dependente de ti? Acordo e quero-te, desejo-te mais do que no dia anterior. Quero de ti a perfeição. Anseio pela mais perfeita. A que será um dia a banda sonora da minha vida. A que um dia me faça sorrir, chorar, sentir, desejar, ter. E através dessa perfeição, encontrar alguém que goste assim tanto de ti como eu e connosco queira viver um mesmo amor.

Chineses

Enviaram-me isto e achei interessante.

"Quantas vezes já se perguntaram porque têm os chineses os olhos em bico? A resposta é fácil. Tenta ler o texto que se segue. Caso não consigas ler o que está escrito... puxa a pele do lado exterior dos olhos de modo a ficares com eles como o dos chineses".


Agora já compreendes porque os chineses têm os olhos dessa forma?

Quase real

Encontrei isto neste link e é simplesmente notável. A técnica em causa é o Binaural recording e utiliza pequenos microfones combinados na altura dos ouvidos para simular um ambiente real. Deixo-vos dois exemplos excelentes. Apenas três regras:

1. Coloca os teus fones;

2. Fecha os olhos (mas fecha mesmo);

3. Carrega no play e coloca o som bem alto.

Vais ver como parece mesmo real. Fantástico!

Barbearia Virtual



Voz Sexy


Truz, truz. Estás aí?


EDIT

P.S. Parece que não...

Soneto do "Amor Total"

Hoje, deixo-vos um soneto lindíssimo que me enviaram e que não conhecia de Vinicius de Moraes. Chama-se "Amor Total" e "reza" assim:
Amo-te tanto, meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade

Amo-te afim, de um calmo amor prestante,
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente,
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim muito e a miúde,
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

Longe de ti

Hoje, acordei ao som desta música. "Longe de ti" é pertença do grupo português Império dos Sentados, entretanto extinto. Foi uma balada de grande sucesso, muito por culpa de uma letra excelente e da voz fantástica de Rui Rodrigues. Já lá vão 13 anos, desde este vídeo que hoje vos deixo, altura em que "Longe de ti" fazia furor. Era também, por essa altura, uma das minhas músicas de eleição. Para quem não sabe, os Império dos Sentados, terminaram abruptamente em 2003, com a morte de Rui Rodrigues, na sequência de complicações durante um transplante de coração. O guitarrista Renato Ribeiro admitiu que não fazia sentido continuar com o projecto. No entanto, é sempre bom recordar o que de bom fizeram e a notável voz do Rui. "Longe de ti", "Deixa-me olhar", "Sempre para te amar" ou "Só por ti" foram alguns dos grandes êxitos.


Publicidades

É mais uma incluída na campanha contra o vírus da SIDA. É francesa e muito bem conseguida, diga-se.

Eating Out

Chama-se Eating Out, é um filme gay de 2004, de Allan Brocka. Uma película com uma história curiosa, momentos de humor e sensualidade que recomendo vivamente, para quem ainda não viu. O filme centra-se em Caleb, um atraente universitário, heterossexual que na tentativa de conquistar Gwen se acaba por meter num verdadeiro quadrilátero amoroso, conjuntamente com os lindíssimos gays Kyle e Marc. A não perder!

Devaneios


Olho fixamente o céu. Sonho um dia perder-me nele, contigo. Sem medo do futuro, do mundo ou da censura. Ninguém ousa ter medo na companhia de quem ama. Sonho em abraçar-te e em te dar em dobro cada sorriso que me destinares. Sonho em cantar para ti, em silêncio, em sussurrar-te o que sinto, em abafar-te cada palavra num sorriso descontrolado. Sonho em me sentir parte de ti, sonho em ser igual a ti. Sonho em contar contigo todas as estrelas do céu e em agarrar todas as ondas do mar. Sonho em estar contigo e ainda assim ter saudades de ti. Sonho em estancar a ferida e as lágrimas que, por vezes, verto. Sonho com um dia. O nosso dia.

Pedro


Como sempre, há momentos em que pareço enfeitiçado por determinadas músicas ou intérpretes. Estes dias, é com Pedro Abrunhosa que tenho acordado e é ele que me faz companhia ao adormecer. Dizia hoje na brincadeira a alguém, que me casaria com quem me escrevesse como Abrunhosa tão bem faz, o que só demonstra a enorme admiração que tenho para com ele. Pedro é notável em tudo o que faz e, por mais que não seja um cantor na verdadeira assepção da palavra, é um autor genial e, como todos os génios, capaz das obras mais extraordinárias. Ele define-se como "cantautor", eu prefiro defini-lo como génio. Para quem não sabe, Abrunhosa teve ainda no início da sua aventura musical com os Bandemónio a pretensão de fazer um casting para escolher um vocalista para a banda.

O casting existiu mesmo, mas Abrunhosa achou que ninguém era capaz de transportar para a voz todo o sentimento das músicas por si escritas. Dizia ainda que "há uma magia entre a minha voz e o instrumentar que é difícil de conseguir" e por isso optou por ser ele a tomar o comando da banda, por mais que admita que não sabe cantar. Para mim, não é importante que o saiba, quando é capaz de interpretar como ninguém aquilo que escreve.

Várias são as músicas que o acompanharam ao longo dos tempos e difícil é mesmo decidir qual a melhor. O que é certo é quem tem o prazer de ter o DVD musical gravado aquando do concerto na Casa da Música, na cidade Invicta, tem na sua posse as melhores e mais tocantes músicas que Abrunhosa alguma vez fez. Não estarão todas, mas está a maior parte. Incluindo o "Tu não sabes", a música que Pedro dedicou a Paulo Abrunhosa, o irmão falecido. Já mais recentemente voltou a soltar magia com o álbum Luz, que lhe valeu inlclusive um prémio da Ilga, pela fantástica "Balada de Gisberta". Abrunhosa é, seguramente, o expoente máximo daquilo de bom que se faz em Portugal.

É um prazer ouvir-te Pedro.

Agenda

Andava à procura da agenda de concertos para 2008 e encontrei este site, muito detalhado e com a agenda até Outubro de 2008. Pena que, a melhor programação do ano esteja, para mim, entregue ao Luisa Todi em Setúbal. Acho que ainda vou dar lá um salto... Mas é claro que o grande destaque do ano vai mesmo para o Rock in Rio Lisboa.

Parte de mim

É este o título de uma das músicas mais bem conseguidas de Pedro Abrunhosa. Hoje, em casa, lembrei-me dela e do magnífico concerto que tive o privilégio de assistir em 2005 na Casa da Música. A letra é arrebatadora, como sempre, e ao ouvi-la parece sempre que estou numa outra dimensão.

Onde estiveres, eu estou.
Onde tu fores, eu vou. (...)
Para onde olhares, eu corro.
Se me faltares, eu morro.


Onde estará o meu amor?

Inevitável

Perdoem-me a colocação de um assunto político neste blogue mas hoje é inevitável. No dia em que o governo português anunciou o novo aeroporto para Alcochete, é sempre interessante ouvir as declarações do ainda (falta saber até quando) ministro das obras públicas, Mário Lino. Pobre país este e pobres políticos estes... Um belíssimo momento de humor!



Preciso ver-te...


... só tu me consegues "carregar".

Não as conheci lá, ainda assim ouço-as para recordar a cidade londrina. A noite em especial...
A esta hora, há uma semana, já eu e o C nos mexíamos, por exemplo, ao ritmo destas duas músicas que tocam em tudo o que é bar/disco em Londres. Pelo menos às que fomos... gay claro está.

Robyn & Kleerup - "With Every Heartbeat"



Rihanna - Don't Stop The Music

Será por isto?

Que há alvos certos e errados? Que há amores correspondidos e não correspondidos?

"Quando duas pessoas se encontram, na realidade encontram-se seis. Cada uma como se vê a si mesma, cada uma como vê a outra e cada uma como é na realidade". by William James

Chuva



As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudades
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir

Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir

São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder

Há dias que marcam a alma
e a vida da gente
e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer

A chuva molhava-me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera

Ai... meu choro de moça perdida
gritava à cidade
que o fogo do amor sob chuva
há instantes morrera

A chuva ouviu e calou
meu segredo à cidade
E eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade

Doenças, umas más outras nem por isso...



Terminadas as férias em Londres regressei a casa com uma gripe jeitosa. Dois dias metido na cama com dores de cabeça, musculares, tosse e tudo mais a que uma gripe dá direito. Mas já estou melhor dessa doença. De outra espero ficar em breve. É uma doença grave que afecta cada vez mais o nosso país. O desemprego. Mas como sou optimista - bem, tem dias... - acredito que esta será uma fase rápida. Serão na prática umas mini-férias, espero.
Por fim a "doença" mais agradável. Confesso que já sentia falta dela. De acordar a pensar em ti e de demorar a adormecer por continuar a pensar em ti. De ter um friosinho na barriga quando penso ou estou contigo. Espero que ela, a doença, possa continuar a alastrar-se em mim e em ti.

Confesso...


...que ontem rezei. Eu, um católico por educação e agnóstico por convicção. Rezei a um Deus que não me compreende, a um Cristo que me recrimina. Mas ontem senti-me só e demasiado triste. Procurei nele, as respostas que mais ninguém me dá. Procurei nele, o carinho que me fugiu. Procurei nele, o conforto que me faltou. Entre as lágrimas pedi-lhe protecção, pedi-lhe que não passe o que passei, pedi-lhe que não sofra o que sofri. Pedi-lhe um alvo certo. Pedi-lhe forças para me levantar. Pedi-lhe a mão para continuar. Confesso que procurei apoio em quem sempre reneguei. Confesso que fui tentar abrigo em quem sempre rejeitei. Peço perdão à minha consciência. Mas estava só. E a tentação foi mais forte. Confesso que fui cobarde e que apenas O procurei, por já não saber mais a quem recorrer. Confesso que me traí.

AMAR



"Não há amor igual ou diferente. Há amor. Mais forte ou mais fraco. Mais intenso ou mais brando. Mais sofrido ou mais fácil. Com mais lágrimas ou mais sorrisos. Mas apenas e só amor." by C

Carta aberta para ti


Sabes, o meu sonho sempre foi ter uma "loja de sorrisos". Daqueles rasgados, apaixonantes, que fossem capazes de me "acolher" nos dias mais tristes. Naqueles dias em que o mundo parece que desaba. Sonhei sempre em ter uma loja só minha. Onde pudesse trocar uma lágrima por um sorriso. Ou fosse capaz de "enganar" o mundo, com um sorriso comprado.

Quis antes o destino que me apaixonasse por vendedores de sorrisos. O último é um deles. Não raras as vezes saí de casa, apenas com a intenção de ir buscar um. Para me sentir melhor. Para me sentir feliz, mesmo que fosse de forma momentânea.

Sei bem que a loja não é minha e que o vendedor não me pertence, infelizmente. Mas a verdade é que continuo a precisar dos sorrisos da loja dele, da companhia do vendedor. Um dia, a necessidade há-de ser menor, assim espero. Porém, de uma coisa não vou abdicar nunca, da amizade do vendedor.

E que quem tiver a "honra" de ser um dia "sócio" da tua loja, a saiba aproveitar e rentabilizar. Sorrisos como esses já não se fabricam mais. Por isso, trata de não a perder. Um dia, espero ter ao meu lado um "vendedor" só para mim, para que jamais volte a chorar, para que saiba sempre onde ir buscar um sorriso, num dia menos bom.

Até lá, não te penitencies. A culpa não é de ninguém. É mesmo do mundo. Aquele que, às vezes, nos vira as costas. E que nos faz sentir tão sós. Aquele que demora em nos apresentar a tal pessoa "igual a nós". Mas, enquanto isso não acontece, podes estar certo de que não vou abdicar de passar na tua loja, sempre que me sentir triste. Podes não ser o meu vendedor, mas és alguém que certamente não me negará um sorriso.

Só te peço uma coisa. Um sorriso desses não merece ser gasto em momento vãos. Que nada signifiquem. É precioso e especial demais. Um dia alguém vai perceber isso. E tu também. Eu, vou continuar em busca de uma nova loja. Alguma, um dia, se abrirá para me receber.

Adoro-te amigo, mesmo muito. E desculpa, por não ter sido capaz de evitar sentir, o que sinto. Mas o nosso coração tem vontade própria...

Beijo,

C.

Again in Portugal...

Confesso que não sou excessivamente apegado ao meu país, mas é sempre bom regressar. Rever a família principalmente e amigos, pese embora ainda não tenha tido oportunidade de ver estes últimos. Mas as férias acabaram. Londres ficou, uma vez mais, para trás. Linda. Imponente. Uma metrópole que dá gosto visitar. Por tudo e mais alguma coisa. Aprendi também algumas coisas nesta viagem. Que a vida sabe bem melhor, vivida num país ou é, afinal, bem mais fácil estar-se fora dos padrões da dita "normalidade", o que quer que ela signifique. Aprendi também, que mesmo por trás da cara mais bonita (e há lá várias), uma delas me mostrou que ainda há quem tenha valores, princípios pelos quais se rege e principalmente que o coração é sempre quem tece as leis na nossa vida. E percebi finalmente, que é lá que um dia que quero viver. Lá ou cá. Se o nosso Portugal, for capaz de evoluir...
E aprendi uma coisa também. Nunca estamos contentes com o que temos. É que estar longe de alguns amigos custa muito. Somos mesmo assim. Uns seres eternamente insatisfeitos...

Diário de Londres II

Pois é. O que é bom, está mesmo a acabar. Muitas coisas estão ainda por contar, mas serão contadas a seu tempo, principalmente quando voltar a ter ligações à internet de jeito. Mas o que é facto é que, digam o que disserem, a noite em Londres é do melhor. Então depois de conhecer a noite gay em Portugal, Vigo e Londres, não tenho dúvidas que a capital inglesa bate tudo o resto aos pontos.

Na beleza das pessoas, na simpatia das mesmas e principalmente na forma descomplexada como vivem. Dá gosto, por um lado, mas por outro faz-nos sentir que Portugal continua alegremente atrasado e escondido por trás de um conservadorismo irritante e que continua a servir de capa a uma sociedade cobarde, incapaz de evoluir. E posso dar alguns exemplos. Uma funcionária de um restaurante de fast-food me perguntar de uma forma natural se queria escolher, ou esperar pelo meu namorado (leia-se o meu amigo Pedro que tinha ido à casa de banho).

Na altura fiquei sem reacção, por não estar tão habituado a este tipo de questões e pensei que ela tinha tido uma "lata" enorme, não só porque não somos namorados, mas acima de tudo, porque nem sequer sabia se éramos gays. Mas o que é facto é que uma funcionária perguntar a um hetero se quer escolher ou esperar pela namorada - mesmo que seja apenas uma amiga - ele nem se vai importar. Agora, num caso destes... nem quero imaginar a reacção de um hetero em Portugal.

Outra situação que vimos muito, é o à-vontade com que casais entram em sex-shops e estão ali a escolher produtos ou filmes. E finalmente, a facilidade com que as pessoas metem conversa com "estranhos" num bar ou discoteca, muito diferente do que por cá se vê. Enfim... muitas diferenças. De uma cidade e de um povo tão diferente... comparativamente com Portugal. E é também isto que eu adoro em Londres. Pena, estar já a acabar...

Acontecem também situações que me fazem subir o ego, o que às vezes é bem preciso :)... só mesmo por cá...

All time love...

Estou deitado na cama do quarto de hotel, mas o sono não aparece. Enquanto isso, ouço-a. Conhecia-a aqui. E penso em ti. Olho pela janela, na tentativa de ver-te, mas só mesmo árvores velhas e folhas caídas estão no meu horizonte. Uma rua despida. Um silêncio ensurdecedor. E por aqui, um coração que bate ao ritmo dela. É linda. Quem sabe um dia para ouvir contigo, ao largo do Tamisa... Por agora, continuo a procurar-te. E a procurar-me. Dificilmente te encontrarei, sem me encontrar primeiro.

Diário de Londres I


Calor imenso no quarto, a constrastar com o frio do exterior. Mas pelos vistos, em Portugal as coisas também não vão boas relativamente ao tempo. Aqui a chuva não aparece, mas o frio, hoje principalmente, é muito.

Ora bem, pessoalmente, a passagem de ano nunca me entusiasmou sobremaneira. Não sei porquê, mas esperar até à meia-noite para festejar a viragem de um ano, que terá mesmo de acontecer, foi sempre estranho. E para apanhar uma "bebedeira" nunca foi necessário uma desculpa. Por isso, passá-la em Londres sempre tem o quê de novidade. E quem já cá esteve, sabe bem que isto é um mundo à parte. Por isso imagine-se. Dia 31. 18 horas. Trânsito cortado, rotas de autocarros alteradas, polícia a rodos, e muita, mas mesmo muita gente na rua. Mas nada disto comparado com a "loucura" existente mais de uma hora antes da meia-noite. Francamente, nunca tinha visto tanta gente na rua. Empurrões e confusão não faltaram, na tentativa, também nossa, infrútifera de chegar mesmo ao largo do Tamisa.

Aguardamos por isso a "virada", com dois amigos com o "London Eye" e o majestoso "Big Ben" no horizonte do olhar. Depois, foi só esperar. Pela som imponente do dito à meia-noite e entrar em 2008. Notável o fogo de artifício e aquela multidão a "abraçar" o novo ano, esperando-o certamente melhor do que o anterior. Mas certamente sem superar expectativas, provavemente por não termos conseguido chegar ao Tamisa. Quanto a mim, entrei em 2008 com um abraço ao meu grande amigo Pedro e com o desejo sincero que também este seja o ano dele e com a clara esperança de que também para mim 2008 seja o ano da viragem, esquecendo as tristezas de 2007 e aproveitando, este ano, o que de melhor o outro me trouxe, os amigos e o "canudo".

Depois, passamos a "madrugada" em casa de dois amigos (um deles português). Muito bem passada diga-se. Excelentes companhias e também excelente pessoas. Bebida (muita), comida, música, filmes e divertimento. No dia seguinte de manhã, também se inovou. Começou-se o ano num estádio de futebol. O melhor futebol do mundo, com os melhores adeptos do mundo... Valeu bem a "pequena fortuna" gasta.

Para terminar, porque o diário já vai grande. Apenas dizer que essa noite foi "gasta" em bares/discotecas. E bem "gasta". É que, por cá, parece que de facto a beleza continua a não ter limites. Aconselha-se a visita... quanto mais não seja para regalar a vista :).

Bem e por hoje chega. Vamos continuar a dar notícias.

C e Pedro (live in London)


Afinal não foi…


Engano-me. Várias vezes. Tenho dúvidas. Muitas vezes. Mas, em todas as circunstâncias, costumo dizer o que me vai na alma, o que sinto. O que escrevi neste post foi apenas resultado do meu estado de espírito daquele dia. Estava triste. Desiludido com o mundo e principalmente com um amigo de que tanto gosto. Chorei e sei que ele também. Da minha parte, ele sabe bem que já não sou capaz de viver sem a amizade dele. Sem os sorrisos dele. Sem as peripécias dele. Por isso, e porque é uma amizade forte demais, não vou permitir que um erro, uma infantilidade ou o que quer que seja, a possa colocar em causa. Assim sendo, não poderia terminar 2007 de costas voltadas para ele. Tinha mesmo de terminá-lo com um abraço Sentido. Comovido. Nosso. E com as "desculpas" aceites. Posso não ter mais nada, mas o amigo não quero perder.

Esta introdução serve apenas para justificar o meu recuo, perante aquilo que havia escrito a "quente". Vão continuar a poder lerem-me. Espero que num 2008, bem melhor do que 2007, pelo menos no campo pessoal. E naturalmente, o meu agradecimento especial a quem deixou um comentário último post. Grande abraço a todos e Feliz 2008.

P.S. Para o próximo fica prometida a actualização das férias em Londres.