Faltam 2 dias...

... para mais uma viragem de ano. Para mais uma tradição que sempre me foi difícil de compreender. Para mais desejos pedidos e brindes de circunstância. Nunca gostei da passagem de ano e nunca compreendi a necessidade de festejar a abertura de um ano. Este, aliás, por mim, poderia nem acabar. Gostei de 2008. Fui feliz em 2008. 2008 deu-me tudo o que pedi. Por isso, não deixará de ser irónico eu preparar-me para festejar 2009, sem saber o que me irá trazer. Bem, o melhor mesmo é esperar que 2009 possa ser, pelo menos, igual e desde já aqui ficam os desejos de um bom ano para todos. Depois da meia-noite, a única coisa que mudará é que começarei a colocar um 9 em vez de um 8, porque o resto, espero que continue como está.
Feliz 2009 e sejam felizes!


Natal?

Hipocrisia. É para mim a melhor definição do Natal nos dias de hoje.

Abraço para todos e votos de uma boa terça-feira, porque na sexta tudo voltará ao "normal" e deixaremos de ter votos de felicidade para todos e de paz no mundo.

If you're out there

Não hesito hoje a colocar uma música fantástica de ouvi hoje do novo álbum de John Legend. Num dia em que me sinto feliz. Num dia em que me apetece, como não raras vezes, gritar ao mundo que sou feliz ao teu lado.
Feliz Natal a todos!


Precious Love - James Morrison

Esta Música é para ti. :)



e já agora, Bom Natal, e muitas prendinhas, para todos!

Feliz Natal!


É o meu desejo para todos. Um Natal muito feliz com tudo a quem tenham direito e junto de quem mais gostam. E já agora, que o "Pai Natal" vos traga tudo aquilo que mais desejam. Este ano, não lhe vou pedir nada, já me trouxe tudo o ano passado e por isso este Natal vai ser mais especial :).
Festas Felizes para todos!

Natal dos Hospitais

Não que goste dos intérpretes. Não que "morra de amores" por todos os convidados". Mas, sempre me habituei a ver Natal dos Hospitais, com um olhar especial. Talvez porque já estive do outro lado. Não, felizmente, daqueles que se vêem obrigados a passar esta época numa cama de hospital, mas do lado daqueles que os organizam.
Já vai há alguns anos, era ainda uma criança, mas não escondia a alegria de poder ajudar na organização de algo que sabia ser tão importante para os outros. Sentia-me feliz por ver cada sorriso, sentia-me feliz por ver que, no fundo, era preciso tão pouco para alegrar alguém. Vinha, seguramente, para casa mais feliz e com uma enorme vontade de no próximo ano voltar a ajudar.
E são esses os momentos que recordo de cada vez que no meio do "zapping", vou lá parar. Ao Natal dos Hospitais.

Bad day

Olhos pesados, dores de cabeça, dores no corpo e febre. Estou bem lançado para as férias.E pensar que deveria estar na cama e estou aqui a trabalhar, com a cabeça quase a "explodir". Bad day!

Love

Depois de alguns dias sem te ver, finalmente vou dormir de novo abraçado a ti. Já tinha saudades.

p.s. Sei que não gostas desse filme, mas o video é pela música. :)

Chefes

Infelizmente o espírito natalício não chega até eles. Até ele, o "espírito" se deve fartar de as aturar.

Faltam 12 dias

Menos de duas semanas até ao Natal. Já se nota. Pelo frio, pelas ruas, pela árvore em casa. E até pelo espírito. Como sempre, ainda não comprei nada. Certamente que será mais um ano em que será à última da hora que tratarei de tudo, com aquele frenesim dos derradeiros momentos. Com shoppings cheios e as indecisões de sempre. Nunca sei o que dar e o medo de não gostarem é grande. É verdade que o consumismo destas alturas tem muito de reprovável, mas a verdade é que, adoro dar prendas e adoro o momento em que as compro. Pior só mesmo ver a conta bancária descer... mas... é por uma boa causa :).


Viagens

Para a semana, em Matosinhos. Lá estaremos.

Broken String

Confesso que não aprecio Nelly Furtado. Mas, quando ela se junta a alguém de tamanha qualidade como é James Morrisson, só poderia dar uma música também ela de altíssima qualidade. É o caso deste "Broken String". Fantástico!




Aqui fica também o videoclip.

Génios



Sempre te disse, que há um génio dentro de ti :).

Sia - Numb


Mia Rose

É mais uma jovem lançada pelo mundo "YouTube". Depois da Ana Free, Mia Rose. Também ela com origens lusas, apesar de nascida em Londres. Esta é apenas uma das boas músicas de Mia Rose. Uma belíssima voz, sem dúvida.


"Adopção" por gays

Esta é uma história curiosa de "adopção" por um casal gay. Até aqui nada de anormal. Não se tratasse de um casal de pinguins gays que subtilmente roubava os ovos a casais de pinguis heterossexuais e no lugar destes colocava pedras. É que no reino dos pinguins a adopção por casais gays é permitida, como se constata :). Quem não gostou muito foram funcionários do Jardim Zoológico Chinês, que lá tiveram de separar o casal gay. Pode ler toda a história aqui.

Publicidades


No mínimo curioso, este anúncio publicitário da Bianco Footware. O lema é "Dobre a sua colecção, namorando uma pessoa do mesmo sexo".


WC públicas

Lapidar

Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo? Fernando Pessoa

Within Temptation - Forgiven

A música que vos deixo hoje fala de desistências é certo, mas tem pouco a ver com o que escrevi anteriormente ou sequer com o meu estado de espírito. No entanto, deixou-a, porque a adoro. Porque a acho perfeita e transcendental. E hoje apetece-me ouvi-la.

Pequenas vitórias

É reconfortante vencer uma batalha. Por mais pequena que ela possa parecer para quem vê de fora. Mal sabem as horas de sono que aquilo nos tirou. Mal sabem o tempo que perdemos a pensar numa solução longe de ser imediata. E depois, o sorriso da chefe, o reconhecimento de um trabalho meritório.

A minha profissão faz-se disso. Pequenas grandes vitórias em busca de um triunfo total que todos sabemos nem sequer existir. Mas nos dias em que elas acontecem, ficamos assim, felizes. Menos desanimados e com mais vontade de lutar por outros dias de vitórias. Pequenas mas importantes. Até porque a palavra desistir não pode existir. Pena, é verdade, as tentativas-erros em que nada resultam serem sempre superiores aos dias de pequenos triunfos.

Jason Mraz

Em Portugal, em Março. Aqui o esperamos.

Mau dia

Definitivamente, nem sempre "levar" por trás é bom. Tenho dito.

Destinos de Sonho

Este é o meu. Será que a ryanair algum dia viajará para lá? :)


Just the way you are

Altos e baixos. Habituações. De uma nova vida. De uma nova forma de vida. Porque não é fácil, "cedermos" o nosso canto, mesmo a quem amamos. Porque não é fácil abdicarmos de algum espaço, quando vivemos toda uma vida assim. Sem preocupações de modelar feitios ou de forçar sorrisos. Por isso, às vezes, erramos, por isso às vezes não somos aquilo que deveríamos ser. Mas aprendemos. Temos de aprender. Fundamentalmente, a crescer.

E basta um dia longe, para percebermos que é juntos que queremos estar. Com todas as nossas virtudes e feitios. Com tudo aquilo que gostamos um no outro e até com aquilo que não evitamos "recriminar".
Lá fora, ouço a chuva, enquanto me aqueço junto à lareira. Cai compassada. Do mesmo jeito que o meu coração bate... por ti. Gostava que aqui estivesses. No fundo, sonho com o dia em que aqui possas estar.


Wonderful Tonight

Angústia

"Tortura do pensar! Triste lamento!
Quem nos dera calar a tua voz!
Quem nos dera cá dentro, muito a sós,
Estrangular a hidra num momento!

E não se quer pensar! ... e o pensamento
Sempre a morder-nos bem, dentro de nós ...
Querer apagar no céu – ó sonho atroz! –
O brilho duma estrela, com o vento! ...

E não se apaga, não ... nada se apaga!
Vem sempre rastejando como a vaga ...
Vem sempre perguntando: “O que te resta? ...”

Ah! não ser mais que o vago, o infinito!
Ser pedaço de gelo, ser granito,
Ser rugido de tigre na floresta!"


Florbela Espanca

Dúvidas

Tu que, por vezes, duvidas. Tu que, por vezes, te interrogas. Tu que, vezes sem conta, te deixas inundar por um "mar" de desconfianças. Tu que, por vezes, me julgas diferente ou às vezes distante. Tu que, por vezes, não me compreendes. Tu... sim tu. O "tu" que eu amo. O "tu" que me faz feliz. O "tu" por quem eu choro e por quem eu rio. O "tu" que me faz feliz. O "tu" que eu não quero jamais perder. O "tu" por quem eu sofro de cada vez que me foge um sorriso. O "tu" que me magoa por cada palavra mais ríspida. O "tu" que eu não quero nunca deixar de fazer feliz. O "tu" que eu quero que acredite sempre em mim e nos meus sentimentos.

Sim, é verdade. Amo-te, muito. De uma dimensão tal que nenhuma das palavras seria capaz de igualar. Com uma tal intensidade que me torna incapaz de o escrever mais vezes, de o dizer mais vezes. E eu, sou assim. Um "lamechas" instável, mas profundamente apaixonado. Mais por ti, do que pela vida. E que quer percorrer contigo cada um dos seus 7 mares, mesmo que, às vezes, a ondulação nos pareça tornar mais distantes. Penitencio-me pela instabilidade. Mas jamais me penitenciarei por te amar tanto.

Prazeres da Vida


Alguém me ouviu?


Cansado

Ando cansado, com um humor terrível e com uma vontade incrível de parar. Para pensar. Porque nem para isso tenho tido tempo. Sinto-me fraco, pressionado por uma profissão onde não há tempo para "chorar" desaires ou para pensar projectos. Pelo menos no nosso "cantinho".
Pior do que isso, é saber que ninguém tem culpa do facto de eu andar com um humor de "cão" e eu não conseguir ser melhor do que sou. Queria apenas um momento para mim. Ou mais do que um. Em que pudesse descansar a cabeça, fechar os olhos e ouvir. Esta e outras músicas. Que me acalmam e que me fazem sentir bem. No fundo, ando a precisar de férias. Ando a precisar de ter tempo para mim. Desconfio que não seja um mal apenas meu...


Acho que estou a precisar...

Olé!


Imponente. Ainda que escura e por vezes até sombria demais. A maior cidade de Espanha brota cultura por todos os poros e não perde por um segundo a altivez que caracteriza os seus nativos. É uma cidade-mundo, onde tudo acontece ou onde tudo parece capaz de acontecer. É uma cidade especial e ainda mais especial se torna quando se percorre "calles" e "calles" na melhor das companhias. Estará longe da beleza da cidade condal ou do romantismo e virtuosismo de Londres, mas traz muito para contar, de quem por lá passa, ainda que por pouco tempo. Ficam as saudades. Mais da cidade, já que os momentos só são possíveis com companhia e essa, claro, não deixei ficar por lá :). Por isso, mais haverá cá.

Provas

Há coisas na vida que nos colocam à prova. Momentos, circunstâncias, peripécias que testam até onde estamos dispostos a ir, até onde aguenta o nosso amor. Alturas há em que, por breves instantes, tudo parece posto em causa. Tudo fica ali à mercê. De um choro compulsivo, de um rosto mais fechado e irritado. Nessa altura, precisamos de provas, provas que nos façam acreditar em tudo outra vez, naquilo que num dado momento ousamos pôr em causa. Elas vêm, tímidas, mas vêm. Mas não chegam. Queremos sempre mais, muito mais. Mas voltamos a acreditar ainda que timidamente, proporcionalmente às provas que nos dão.
Nesses instantes de incerteza, a cabeça dá voltas, às vezes voltas demais, mas tudo se resolve quando ela volta ao seu lugar. Não por vontade própria, mas porque o coração assim ordena. E por fim, olhamos para o lado e suspiramos. De alívio, por tudo não ter passado de um susto. E sorrimos, ao mesmo tempo que sem reservas confessamos amarmos-nos como nunca pensamos.

Fim-de-semana


Curto mas essencial para sentir outras aragens, aproveitando a companhia um do outro. Até Segunda!

Sinto

Sinto em cada silêncio as lágrimas que vertes. Sinto em cada falsa palavra, aquilo que sentes. Sinto em cada instante o rombo que sentiste. Mas sabes que nada vai mudar, a marca que deixaste, tudo o que fizeste. Nada vai mudar o exemplo que sempre me deste. É difícil, eu sei. Mais difícil é eu ter tanto para te dizer e não ser capaz. Ensinaste-me a ser forte e és tu agora a precisar de quem to ensine. Prometo que tentarei. E estarei na fila da frente para não te deixar cair, para não deixares escorregar pelas mãos o orgulho que deves ter pelo que ajudaste a construir. E é isso que fica, apenas isso. O orgulho de eu poder dizer, sem reservas que se há exemplo que eu quero seguir é o teu. Não será que isso minimiza qualquer ingratidão de quem mereceu pouco o muito que fizeste? Um dia também vou crer que continues orgulhoso de mim.

Embora Doa...



"Embora doa, nada fiz para mudar/ Embora doa, nada vai mudar/ Porque nada surpreende."

Vivemos num país ingrato. Com gente incapaz de valorizar o nosso trabalho. Com gente incapaz de perceber que dia-a-dia - às vezes durante muitos anos - muito demos por aquilo que, apesar de tudo, nunca foi nosso. Vivemos num país em que é demais esperar um obrigado. Esperar o agradecimento, pelo cansaço, pelas olheiras, pelas alegrias e sofrimento por uma causa. Vivemos num país em que somos tratados por meros peões descartáveis e onde a gratidão não tem lugar. Não pode haver falta de produtividade num país, onde a produção de ingratidão por metro quadrado é tão assustadoramente elevada. Que país é este em que nos momentos de aperto, não se é franco, apenas hipócrita?
Embora doa, é o Portugal da ingratidão. Embora doa, é o Portugal de quem manda e de quem obedece... se tem juízo.
Embora doa, não é o país que eu quero para mim!

O Inverno a chegar...

Dias bem mais curtos, a noite que chega cedo demais e o frio que já faz mossa. É nestas alturas, que sair da cama parece uma tarefa hercúlea e as horas passam sem que façamos metade daquilo a que nos propomos. Doce, esta preguiça, que nos derrete a vontade de trabalhar. É a minha estação de eleição a chegar. Este ano, com um predicado diferente. Chego a ela, com um sorriso de Verão. Dizem que é paixão.

Sugestão da Semana


Inquietante. Nunca a velha expressão "a curiosidade mata" fez tanto sentido. Um filme a não perder!

Obamomania

Sou daqueles que apoiavam a viragem democrática nos Estados Unidos, mas também sou daqueles que sempre tiveram um pé atrás com Obama. Não que não lhe reconheça o mérito de ter conseguido que a sua "onda" varresse, primeiro Hilary e depois McCain, mas talvez porque acredito que Obama vale muito menos do que aquilo que os seus eleitores (e porque não dizer o mundo) acreditam.

Tenho por Obama uma grande consideração e acima de tudo a esperança que consiga trazer para o país e para o globo em geral aquilo que o seu antecessor não foi capaz. Essencialmente, bom senso. Contudo, temo que possa afinal ser um verdadeiro "flop", até porque tem sobre os seus ombros uma responsabilidade que em boa parte não procurou mas que adveio da tal "onda" que se criou. Um verdadeiro fenómeno Obama. Que só assim foi capaz de derrubar bastiões republicanos e não se ficar pelas intenções como Al Gore ou Kerry.

Quanto a McCain talvez no início, ainda nas primárias, nem o próprio acreditasse que chegaria tão longe e em certo momento ter-se-á deslumbrado com as sondagens que pareciam querer contrariar aquilo que parecia unânime na opinião pública - leia-se triunfo de Obama - e cometeu um verdadeiro erro de casting. Sarah Palin só por piada poderia ser uma vice-presidente ao nível do que o país precisa (até pela importância que tem o cargo nos EUA). Palin teve o condão de cometer erros atrás de erros e com isso levou McCain pelo "ralo".

Do nosso cantinho à beira-mar plantado, o que esperamos é que a mudança traga frutos nos EUA e que cure rapidamente a "gripe" financeira. É que, se é dos livros, que quando os EUA espirram toda a Europa se constipa, a saúde europeia estará seriamente ameaçada se o colosso do globo continuar tão definhado.

And the winner is...

A wish

Saudades



Há precisamente um ano, escrevi sobre este dia. Apelidei-me de teimoso e hoje voltei a sê-lo. Não haveria razão para mudar o que sinto. Entre desculpas de cansaço e afins, não fui. Não tinha de ir. No fundo, não estive aí presente, mas sabes que estou sempre aí.

Confesso que o ano não foi fácil e temi perder para ti, quem um dia prometi tomar conta. Felizmente, continua aqui ao meu lado, sem as forças de outrora mas com a presença de sempre que aprendi a admirar. E claro, continua de pé o meu compromisso de tomar bem conta dela e de tudo fazer para a manter com aquele sorriso que um dia escolheste para ti.

Sabes bem a admiração que sempre tive por ti e hoje, mais do que nunca, tenho a certeza que me fazes falta. Talvez porque, pelos vistos, somos tão parecidos. Acho que contigo aqui teria a coragem que me falta para enfrentar o mundo. Acho que contigo aqui seria capaz de deixar apenas de lutar às escondidas pelo que quero e por quem quero.

Eu sei que sabes que acredito pouco em "paraísos" e em entidades divinas, mas às vezes apetece-me acreditar que estás aí, em algum lado, a ver-me e a orientar-me. Parvoíce? Talvez. Mas deixa-me acreditar. Pelo menos hoje. E sabes uma coisa, algo me diz que gostas dele. Ou que ias gostar dele. Porquê? Jamais deixarias de gostar de alguém que me ama.

Look Into My Eyes

Factos

Olhares cúmplices. Sorrisos comprometidos. Não nos peçam para disfarçar. Há coisas que não são fáceis.

Portugal

Markl em tom jocoso pedia esta música para substituir "A Portuguesa", eu, depois de alguns episódios recentes em registos civis ou em monumentos do nosso país, vejo-me na obrigação de "apoiar" a "petição". Este nosso país...


What Happens In Vegas

Obrigatório ver!

Mundo de Cartão

O Mundo que me faz sonhar. O Mundo que me faz viajar no tempo. A viagem ao Mundo que também foi meu. Infantil? Sim, porque é esse o objectivo. Infantil, tal como eu gosto de me sentir às vezes, no meu quarto, longe do mundo dos adultos do qual já tenho de fazer parte ao longo de todo o resto do tempo. Como diz o André, o álbum é transversal. E eu, sem problemas, confesso de que gosto. E muito. Porque me faz sorrir.


Desencontro

Um maldito vírus desencontrou-me com a boa disposição e o bom humor nos últimos dias, mas levou-me ao encontro de quem cuidou, e bem, de mim. Tal e qual, como um dia sempre sonhei. Alguém ali. Ao lado. Para cuidar de mim. Para me dar carinho e tudo o mais que precisasse. Agora que já me sinto melhor, está na altura de retomar o trabalho, mas com tanto mimo, acho que fiquei mal habituado...




P.S. Um dueto fantástico com Simone. Sem dúvida.

No air

Feitios

"... é que eu quero-te tanto, não saberia não te ter. É que eu quero-te tanto, é sempre mais do que o que te sei dizer..." in "Imortais" Mafalda Veiga




Altos e baixos. Uns dias melhor, outros dias pior. Alturas em que serei mais fácil de compreender do que outras. Condeno-me, em cada instante, pelo momentos em que me "esqueço" de sorrir para ti, mas não é por tua causa, talvez seja por minha e por este feitio que carrego e não consigo largar.

Por esta pouca aptidão que tenho para demonstrar aos outros, aos que me são mais próximos, no dia-a-dia o quanto os amo ou sequer em lhes esboçar um sorrir ou dizer uma piada. Acontecerá contigo, acontece com os meus pais ou com quem lida comigo desde sempre. Não acontece com muitos dos amigo ou com os colegas de trabalho. Porquê? Difícil de dizer e talvez até incompreensível para muitos.

Mas, para ti ou para quem amo, não sinto necessidade de esconder dias piores, dias em que me apetece sorrir ou brincar menos. É o "preço" que paga quem eu amo, sem que eu consiga mudar. Gosto de ter o direito de poder ser quem sou e o que sou com quem me sinto à vontade para o ser, pese embora tenha a noção de que tenho de mudar - ou que já deveria ter mudado - porque quem eu amo não merece que deixe, por um só minuto sequer, de sorrir.

Em fases em que me sinto mais cansado, física e psicologicamente, sei bem que ainda sou mais difícil de aturar, mas não porque goste menos das pessoas, mas apenas porque sou assim. Complicado, complexo, mas com vontade de ser melhor. Nisso, também sou um aprendiz como tu.

Perto de complementarmos 8 meses, amo-te com a mesma certeza mas com uma intensidade imensamente superior. E o sorriso largo, bem largo, que esbocei ao ler o teu texto ou as lágrimas que surgiram acompanhadas com eles, apenas o vieram provar.

Amo-te!

Amar

Em pouco tempo e sem darmos por isso ficamos apaixonados. Durante uma vida, aprendemos a amar alguém.

Desculpa se ainda não sei tudo, apenas sou um mero aprendiz.

Amo-te!

Imagens do dia




O boneco do multibanco


Este é mais um texto com muita ironia e um humor fantástico como sempre nos habituou o Bruno Nogueira.

Um post fantástico e ao qual me junto porque - a brincar, a brincar - detesto este novo boneco do multibanco.

Eu também sou...

Contra as Touradas

Os activistas pelos direitos dos animais da PETA
numa manifestação contra as touradas junto ao Parlamento Europeu, em Bruxelas.


Ainda o tema do casamento gay...

Hoje dei por mim a ver tv, concretamente a nova novela da TVI, Olhos nos olhos.
Na apresentação das várias personagens, saltou à vista Pedro Granger. Um look bem diferente que me chamou à atenção. Não me enganei, Bernardo (Pedro Granger) é um homossexual. O filho que não existe. Aos 18 anos foi expulso de casa e desde então nunca mais falou com a sua família.
Vive com Mário (Nuno Távora) que toca violoncelo numa orquestra sinfónica e não faz bandeira da sua homossexualidade, pelo contrário, gosta de manter alguma discrição sobre a sua esfera privada.
Mas tudo muda num dia. De manhã Bernardo descobre que tem leucemia, liga à mãe que o ignora dizendo que o seu filho já morreu. À noite a morte aparece mesmo a Bernardo, na derrocada de um prédio.
É aqui que entra o tema do casamento entre pessoas do mesmo sexo.
A mãe de Bernardo (Pedro Granger) que até então o renegou aparece para a reclamar uma pequena fortuna deixada por ele, ganha com a criação de um site.
A partir daqui a história desenvolve-se nos tribunais com Mário, que nunca teve nada no seu nome, a enfrentar uma batalha jurídica para tentar impedir que a família de Bernardo fique com o que é seu de direito.

É sempre bom que temas como estes passem, nem que através da ficção, a fazer parte da vida e das conversas dos portugueses. Para mais utilizando actores conceituados, como é o caso.
Espero para ver qual será o evoluir deste trama e, claro está, que desfecho guardaram os autores da novela para este assunto, que quer se queira quer não moldará a mente de alguns (muitos).

O ridículo não tem limites

Depois deste texto, deixei de ter dúvidas. O ridículo não tem mesmo limites.

Casamento de Homossexuais?

« Como que não haja problemas profundos para resolver na sociedade portuguesa, entenderamalguns jovens deputados ocupar o tempo a tratar dos problemas dos homossexuais, que querem elevar a “união de facto” à categoria de casamento, com iguais direitos e garantias.

Eu sei que há muitos “Cabrais” e “Gamas” que, no século XXI, ainda sonham repetir as façanhas daqueles citados e destemidos navegadores. Mas, como não têm sequer coragem para ir de traineira às Berlengas, nem para descobrir qualquer ilha deserta, onde poderiam viver como e da maneira que quisessem, porfiam lutar, em terra firme, por uma lei de equiparação da “união de facto” ao casamento. Ora, essa tal lei, em ordem à criação humana, de equidade nada tem.

Evidentemente, que pessoas amigas podem viver, fraternalmente, debaixo do mesmo tecto. Mas não é disso que se trata. Neste caso, trata-se de problemas de inversão da sexualidade natural.

– Uma lei tem de ter uma motivação universal, que sirva toda a nação. Assim, só porque no momento há, quotidianamente, imensos assaltos e roubos, não vamos legitimar o assalto e o furto, para que todos os portugueses possam fazer o mesmo. Da mesma forma, para atender algumas pessoas, com hábitos que ofendem a natureza e a maioria das pessoas, não vamos legislar em favor dessa equiparação, porque a maioria dos portugueses, no casamento, não só não se revê nessa situação como ainda a recrimina.

Basta conhecer bem o país em que vivemos e os sentimentos éticos e morais do nosso povo, para pôr logo de lado tão nefanda como perigosa pretensão!...

Mas, se isso não bastasse, bastaria observar a natureza que nos rodeia e notar como se cruzam os animais, para concluir que, desde que o mundo é mundo, este cruzamento sempre se fez entre sexos diferentes. E, se do reino animal passarmos para o reino vegetal, confirmaremos que para a produção do fruto, há sempre, embora de forma diversa, a intervenção dos dois sexos.

Se, ainda, verificarmos que em quaisquer destes reinos da natureza houve sempre cientistasfamosos que nunca pensaram de outra forma, chegamos à conclusão de que se trata depretensiosismo de pessoas pouco reflectidas.

Por isso, com todo o respeito pelas pessoas nascidas com esse defeito e, até, pelas que ali foram cair, não podemos concordar com a equiparação dessa união ao casamento legal. Seria até caso para exclamar a conhecida frase de um pensador: – «Quanto mais conheço os homens, mais amo os cães».

Este problema da equiparação diz respeito a todas as pessoas. Evidentemente, que tem muito mais a ver com praticantes da doutrina católica, do que com quem a não pratica; mas, mesmo assim, há milhares e milhares de anos, que o direito civil respeita este proceder. Não vai ser agora, agindo contra a tradição verificada em todo o mundo, que os portugueses, copiando o Governo espanhol, vão fazer a descoberta do século. Este caso ultrapassa os limites
religiosos de qualquer religião e vai atingir os direitos e características naturais, que a natureza concedeu ao homem, ao animal e ao vegetal.

O mundo está muito bem feito. Respeitemos as tendências naturais das coisas e não façamos como o nosso velho pai Adão que, segundo a Bíblia, desobedeceu e estragou a ordem criada no paraíso terreal.

Por isso, dali foi expulso, para mal dele e de toda a humanidade.»

[Carlindo Vieira, no Diário do Minho de 28/09/2008]

A Bigger Plan

Uma excelente música, finalmente disponível no YouTube, de um grupo português de grande qualidade.



P.S. Adorei o postal lindo. Amo-te muito, muito, muito :). A música é para ti!

Leave Out All The Rest

Música Popular

Para quem gosta, há muita por aqui.

Casamento de Homossexuais

Como já li em qualquer lado e com alguma graça, é de facto uma falácia perguntar-se à população portuguesa se concorda ou não com o casamento entre homossexuais, até porque o mesmo já é permitido. Não pode um homem homossexual afinal de contas casar-se com uma mulher homossexual?

Mas reportando-me apenas à questão que vai estando na "berra" nos últimos dias, é de facto curiosa a tentativa dos partidos com maiores hipóteses de governação fugirem ao tema. Apenas e só por motivos estratégicos sem no entanto se preocuparem em eliminar as discriminações e as hipocrisias que vão reinando neste cantinho à beira mar plantado.

O PS estrategicamente fugiu com o "rabo à seringa" e não está interessado em trazer para a baila, a um ano das legislativas um tema fracturante. O PSD, por sua vez, e também por questões ideológicas de base, mantém-se sem posição e quando mostra alguma abertura para debater o tema, atira para o ar a ideia de um possível referendo. Referendar a legalização de um casamento civil não deixa de ser uma ideia patética.

Esta noite, Marques Mendes, por exemplo, disse está espantado por este tema ter sido lançado porque na sua opinião há assuntos bem mais graves e urgentes a resolver. É verdade que os há. Mas também não é menos verdade que esta é mais uma posição hipócrita de quem não tem coragem de ter opinião. Todos respeitam, mas todos evitam falar no assunto e vão atirando para canto questões de liberdade pessoal.

E porquê? Porque as "minorias" ainda não têm peso suficiente para decidir eleições...

Fall for you


Objectivo 2015


Um objectivo que também é meu.

Mamma Mia - o Filme

Vi este fim-de-semana, finalmente, o filme. E aconselho vivamente a quem, como eu, de uma forma ou de outra foi crescendo a ouvir Abba. O enredo não é dos mais rebuscados, nem sequer dos mais entusiasmantes, mas isso nem era exigível num musical do género. O filme vale bem mais pela homenagem aos Abba e pela forma fantástica como cada música se encaixa que nem uma luva em cada parte do enredo. E depois, é dos tais filmes em que é impossível não cantar e sorrir. E lá acabei eu de ver o filme com um sorriso parvo daqueles :)...

12 maneiras

Por entre correntes ridículas e muito spam, há coisas engraçadas que se vão recebendo por email e que nos deixam com um sorriso. Eis as 12 Maneiras de Saberes Que Amas Alguém:

DOZE:
Falas com ele/ela a noite e quando vais dormir continuas apensar nela/nela.

ONZE:
Andas muito devagar quando vais com ele/ela.

DEZ:
Nao te sentes bem quando ele/ela ESTá longe.

NOVE:
Sorris quando ouves a voz dele/dela.

OITO:
Quando olhas para ele/ela, nao vês mais ninguém à tua volta. Apenas o/a vez
a ele/ela.

SEIS:
Ele/ela e' a única coisa em que queres pensar.

CINCO:
Tu apercebes-te de que sorris cada vez olhas para ele/ela.

QUATRO:
Farias qualquer coisa para o/a ver.

TRES:
Enquanto estiveste a ler isto, uma pessoa esteve sempre na tua mente.

DOIS:
Estiveste tão ocupado/a a pensar nessa pessoa que não reparaste que falta a
n.º 7.

UM:
Foste verificar se isso era verdade e agora ESTás-te a rir silenciosamente
para ti.

Gone (and we dance)

Fantástica música e de um grupo português.

Para ti...

Esta música é para ti, para o momento (tu percebes porque).



Desculpa pelas vezes que não faço suficiente. Só tenho é que tentar mudar, não só porque quero continuar a ter-te, e como és, como também ver-te sorrir. E desculpa também a ironia da música, mas achei engraçado coloca-la aqui. Se não foi desta que sorriste, eu continuo a tentar.

Diferenças

Todos teremos um preço?

Perdidamente

Ouvindo ou não. Lendo ou não. Escrevendo ou não.

Sempre e cada dia mais. Perdidamente.



Amanhã

Ela vai voltar... Foi tão mais agradável trabalhar sem uma chefe, habitualmente com TPM.

Ana Free

Como um grande talento pode ser descoberto no Youtube. Assim começou a promissora carreira da portuguesa Ana Free.



Pode ouvir outras grandes músicas, aqui.

Momento da Verdade

Acabo de ver a estreia do novo programa de Teresa Guilherme na SIC, "Momento da Verdade". Conclusão? Cada vez mais o dinheiro ou a ânsia de o ganhar se sobrepõe à família e à reserva que a vida privada tem necessariamente de ter. No fundo, um programa que promete audiências, à custa da degradação das relações de quem lá vai e à exaltação de defeitos e comportamentos que de tão vergonhosos se deveriam manter por baixo dos escombros. Momento da Verdade? Sê-lo-á quando a televisão conseguir os seus intentos sem a proclamação da desgraça alheia.
Hoje, foram 25 mil euros com sabor a traições e comportamentos deploráveis mas com cheiro a dinheiro. O odor do vil metal que tudo parece fazer esquecer.

Há amores assim

Aquilo que cheguei a estabelecer como meta não sei agora se algum dia serei capaz. Aquilo que um dia coloquei como uma certeza na minha cabeça, não passa agora de um "medo". Não sei até que ponto estarei disposto a largar tudo, em busca de uma nova etapa da minha profissão. Não sei até que ponto serei capaz de viver sem ter tão perto quem me faz feliz e quem eu demorei tanto a encontrar. Não sei até que ponto, a minha profissão ou a minha evolução enquanto profissional, valerá o sacrifício de verter lágrimas pela distância ou contar os dias que faltam para um eventual regresso. Não sei de facto se estarei pronto para abdicar de tudo aquilo que tenho construído ao longo dos últimos meses em prol de uma temporada fora do meu país. E tudo, porque quero continuar "agarrado" a quem amo, a quem me faz sorrir... sem um oceano a separar-nos. E sabem porquê? Porque "há amores assim"... tão grandes e especiais.



Mas, reserve-me o que me reservar o meu futuro, só espero que ele contemple o que no presente me faz tão feliz.

Mamma Mia

Deu-me hoje para ouvir a banda sonora do filme Mamma Mia e ao mesmo tempo recordar os Abba, afinal de contas, marcaram grande parte da minha infância. O filme ainda não vi, mas conto fazê-lo brevemente. Apetece-me viajar ao passado com esta e outras músicas deles:

Descanso dos "guerreiros" :)

Fim-de-semana reconfortante, a dois, num belo Solar deste País e a certeza de que de vez em quando sabe muito bem deixar as cidades e partir para o descanso do campo. Só faz bem ao corpo e ao espírito eheh. E que bom foi... não foi lindo?

Daí, a ausência por uns dias do blogue. Está justificada a falta :).

Um país de cómicos

Ouvi há pouco que o apresentador de televisão Manuel Luis Goucha aufere qualquer coisa como 40 mil euros por mês, enquanto que o presidente da república, chefe máximo da nação, ganha cerca de 7 mil...

Presidente Cavaco, já era altura de pensar em fazer uma greve...

Mais ordenados obscenos para ver, na revista Sábado.

Um enorme talento


Futebolístico, pois claro. É um opositor de peso no "comprimento" ao Nélson Évora :).

Caixa dos primeiros socorros

Chama-lhes burros!



"O bonobo é um dos raros animais para quem não existe relação directa entre sexo e reprodução. Ou seja, como os humanos, eles fazem mais sexo do que filhos. É no campo sexual que os bonobos se revelam muito criativos. "O sexo é a chave da vida social dos bonobos"." [via]

O nosso país...

Anda a circular pelas caixas de correio electrónico e não pude deixar de colocar aqui:

A ANEDOTA em que se transformou o nosso País:

-Uma adolescente de 16 anos pode fazer livremente um aborto mas não pode pôr um piercing.

- Um jovem de 18 anos recebe 200 do Estado para não trabalhar; um idoso recebe de reforma 236 depois de toda uma vida do trabalho.

-Um marido oferece um anel à sua mulher e tem de declarar a doação ao fisco.

-O mesmo fisco penhora indevidamente o salário de um trabalhador e demora 3 anos a corrigir o erro.

-Nas zonas mais problemáticas das áreas urbanas existe 1 polícia para cada 2 000 habitantes; o Governo diz que não precisa de mais polícias.

-Um professor é sovado por um aluno e o Governo diz que a culpa á das causas sociais.

- O café da esquina fechou porque não tinha WC para homens, mulheres e empregados. No Fórum Montijo a WC da Pizza Hut fica a 100 mts e não tem local para lavar mãos.

- O governo incentiva as pessoas a procurarem energias alternativas ao petróleo e depois multa quem coloca óleo vegetal nos carros porque não paga ISP (Imposto sobre produtos petrolíferos).

- Nas prisões é distribuído gratuitamente seringas por causa do HIV, mas é proibido consumir droga nas prisões!

- No exame final de 12º ano és apanhado a copiar chumbas o ano, o primeiro-ministro fez o exame de inglês técnico em casa e mandou por fax e é engenheiro.

- Um jovem de 14 mata um adulto, não tem idade para ir a tribunal. Um jovem de 15 leva um chapada do pai, por ter roubado dinheiro para droga, é violência doméstica!

- Uma família a quem a casa ruiu e não tem dinheiro para comprar outra, o estado não tem dinheiro para fazer uma nova, tem de viver conforme podem. 6 presos que mataram e violaram idosos vivem numa sela de 4 e sem wc privado, não estão a viver condignamente e associação de direitos humanos faz queixa ao tribunal europeu.

- Militares que combateram em África a mando do governo da época na defesa de território nacional não lhes é reconhecido nenhuma causa nem direito de guerra, mas o primeiro-ministro elogia as tropas que estão em defesa da pátria no KOSOVO, AFEGANISTÃO E IRAQUE.

- Começas a descontar em Janeiro o IRS e só vais receber o excesso em Agosto do ano que vem, não pagas as finanças a tempo e horas passado um dia já estas a pagar juros.

- Fechas a janela da tua varanda e estas a fazer uma obra ilegal, constrói-se um bairro de lata e ninguém vê.

- Se o teu filho não tem cabeça para a escola e com 14 anos o pões a trabalhar contigo num oficio respeitável, é exploração do trabalho infantil, se és artista e o teu filho com 7 anos participa em gravações de telenovelas 8 horas por dia ou mais, a criança tem muito talento, sai ao pai ou à mãe!

-Numa farmácia pagas 0.50€ por uma seringa que se usa para dar um medicamento a uma criança. Se fosse drogado, não pagava nada!


Obrigado Portugal. Estamos orgulhosos!!

Percepções diferentes

Letras

"Quem dorme à noite comigo é meu segredo"

in "Medo" (Mariza)

Genes da homossexualidade

Um estudo deste ano do departamento de psicologia dos Estados Unidos parece concluir que os genes que predispõem para a homossexualidade aumentam o sucesso dos heterossexuais nas conquistas sexuais. Deste modo, estaria explicado o porquê dos ditos genes continuarem a ser seleccionados no próprio processo evolutivo.

The day that never comes

Salto para o ouro

Este é o salto para a piscina que valeu ao australiano Matthew Mitcham - o único homossexual assumido nos Jogos Olímpicos de Pequim - a medalha de ouro.



Finalmente! :)

Graças às mensagens que os nossos leitores foram deixando no blogue, soube que a música de Andé Sardet já circula pela internet. É caso para dizer, felizmente e finalmente :). Podem procurar aqui informações, algo "aborrecidas" de dar por aqui :).
Entretanto fica com a música já disponível no YouTube e obrigado a todos os que nos últimos dias foram deixando as mensagem na nossa caixa de comentários. E agora... Adivinha quanto eu gosto de ti!


O primeiro meio ano...

... do resto das nossas vidas.

Podia acrescentar mais, fazer um texto bonito ou uma declaração de amor, mas muito do que tinha para dizer já te disse ou já escrevi por aqui. Fico-me, por isso, por um agradecimento. Por me fazeres tão feliz e de me fazeres acreditar, dia após dia, que sou especial. Especial por te ter ao meu lado e por um dia ter tido a "ousadia" de lutar por ti.
Amo-te, Jorge!

17 metros e quantos? :)

Nélson de ouro



Hoje, finalmente, conquistamos o ouro com uma prestação notável de Nélson Évora. O atleta nacional junta assim o título de campeão olímpico ao de campeão do mundo conquistado no Japão. Parabéns Nélson!

Pré-conceito

Ter de trabalhar quando mais de metade do país está parado e a outra metade parece com vontade de o ficar a ver parado, é algo que me irrita. Mas tem de ser. Enquanto isso, vou vasculhando pela "net" oportunidades de férias ou simples fins-de-semana. Não que ande desesperadamente cansado ou que ache que já não tive a minha dose mas porque, simplesmente, me irrita a nossa habitual "cruzada" por um espaço onde possamos estar a sós ou apenas onde possamos fazer aquilo que quaisquer namorados fazem. Nada de muito elaborado mas que ainda parece uma utopia nos tempos que correm. Às vezes dava jeito ter um comando que parasse as pessoas por instantes, apenas para te dar um beijo ou um simples abraço quando me apetece.
No trabalho todos falam de "namorados" e "namoradas" e eu não fujo à regra. Mas a "minha" é afinal o "meu" e para eles é ainda uma figura sem rosto, mesmo que até já te tenham conhecido. Em casa o cenário repete-se, mais aí o meu silêncio aumenta, por entre piadas homofóbicas que finjo não ouvir. É preciso estofo, confesso.
É a vida, dizem. Por falar em vida, esta semana tenho olhado vezes demais para o calendário. Nunca mais é sexta. E nem é por causa do trabalho, porque esse às vezes obriga a hipotecar fins-de-semana, mas apenas e só porque te posso voltar a ver e a abraçar. Onde? Ainda não sei. Nunca sei. Que me dizes de uma viagem até ao Portugal do futuro? Juro que tenho curiosidade de saber, por quanto mais tempo vai durar esta hipocrisia. Este conservadorismo arcaico que protege e vangloria "perdidos" e tenta impedir a união de quem se ama.

Medos

Abrunhosa dizia que "quem ama tem medo de perder". Nada mais acertado. Mas que "raio" de medo é este que nos corrói? Porque temos medo de ficarmos sozinhos quando não amamos e temos um medo semelhante quando amamos? Porque sentimos medo que, de um momento para o outro, sem que tenhamos razão para isso, a pessoa que amamos abandone a nossa vida, aquela que já não somos capazes de imaginar sem ela? Porque perdemos tempo em ter medo?

Talvez seja este o segredo do amor. Talvez mesmo este medo seja essencial para nos obrigar a lutarmos, em cada dia que passa, por quem amamos e a construirmos em cada dia o nosso amor. Talvez sem este medo, sem este sentimento de que o amor apesar de único e forte , é vulnerável, não fossemos capaz de amar com tanta intensidade.

Sim, confesso, tenho medo. Tenho medo porque amo. Tenho medo porque sou feliz com a pessoa que amo. Mas o que tenho mais medo é de um dia... deixar de ter este medo.


Mandamentos

Compreender que nem sempre o que gostamos, o podemos exigir a quem amamos, tão somente porque o gosto pode não ser recíproco, será um dos mandamentos do amor. Mas, perceber o quanto um simples gesto ou acção pode ser importante para o outro, sê-lo-à também certamente.

Running to stand still

Foi o meu primeiro álbum. Oferecido há muitos anos por um amigo. E é curiosamente, para mim, o melhor dos U2. Chama-se Joshua Tree, remonta já a 1987 e tem sido a minha companhia dos últimos dias. Esta é uma das músicas que mais gosto deste álbum, ainda que nunca tenha sido elevada a "single" de promoção ou sequer seja das mais conhecidas. Tem uma letra fantástica, para não variar e chama-se "Running to stand still".


Triste país o nosso...

Tudo à espera de medalhas nos jogos olímpicos e é o que se vê. A esperança nigeriana pede desculpa por estarmos a pagar para ele lá estar e não conseguir nada e abandona a carreira sem participar nos 200 metros. O lançador de peso diz que de manhã não gosta de lançar, apenas dormir, a judoca queixa-se do árbitro, o da equitação desiste porque a égua não colaborava e não obedecia a ordens e a dos 3000 metros obstáculos desiste porque cai. Finalmente, o presidente da federação de natação conclui dizendo que só vamos ganhar algo quando conseguirmos mesclar a raça. Eis o rescaldo, para já, dos jogos olímpicos. Triste, portanto.

Adivinha quanto gosto de ti III

Enquanto ia no carro, ouvi a música na Comercial. Pensei em gravá-la mas não tinha nada com que o fazer. De repente lembrei-me que o telemóvel podia ser uma opção. Não para a gravar em qualidade, mas para gravar pelo menos algo que pudesse colocar aqui para quem nunca ouviu ter alguma noção de como é bonita a música. Entretanto, ligaram-me e por isso não foi possível gravar mais do que um escasso minuto, mas melhor do que nada. Aqui fica o meu pequeníssimo contributo, esperando que a próxima vez que a ouvir a possa gravar em condições.

Adivinha quanto gosto de ti II

A música ainda não há, mas a letra completa sim. A Rita passou por cá e deixou-a depois de a escrever enquanto ouvia a música na Comercial.

"Já pensei dar-te uma flor, com um bilhete, mas não sei o que escrever, sinto as pernas a termer quando sorris para mim, quando deixo de te ver...
Vem jogar comigo um jogo, eu por ti e tu por mim. Fecha os olhos e adivinha, quanto é que eu gosto de ti.

Gosto de ti desde aqui até à lua,
Gosto de ti, desde a Lua até aqui.
Gosto de ti, simplesmente porque gosto, e é tão bom viver assim...

Ando a ver se me decido, como te vou dizer, como te hei-de contar, até já fiz um avião com um papel azul, mas voou da minha mão... Vem jogar comigo um jogo, eu por ti e tu por mim. Fecha os olhos e adivinha, quanto é que eu gosto de ti.

Gosto de ti desde aqui até à lua,
Gosto de ti, desde a Lua até aqui.
Gosto de ti, simplesmente porque gosto, e é tão bom viver assim...

Quantas vezes parei à tua porta, quantas vezes nem olhaste para mim, quantas vezes eu pedi que adivinhasses, o quanto eu gosto de ti.

Gosto de ti desde aqui até à lua,
Gosto de ti, desde a Lua até aqui.
Gosto de ti, simplesmente porque gosto, e é tão bom viver assim..."

Adivinha o quanto gosto de ti

Não, não é mais uma declaração de amor. É apenas o título do novo single do André Sardet. Ouvi-o ontem e fiquei apaixonado. Pena o fantástico mundo virtual ainda não o disponibilizar, mas ainda não abandonei a procura. Apenas interrompi a minha busca para vir cá dizer isto. Para já, ficam com o refrão, dito de cor (por isso é provável que não esteja textual):

"Gosto de ti desde aqui até à lua,
gosto de ti desde a lua até aqui.
Gosto de ti (...) porque sim
e gosto de viver assim."

P.S. Quando o encontro coloco-o. Se o virem primeiro, "avisem-no" que estou à procura dele :).

The Kooks - Shine On

Je t'aime

Com os devidos créditos para um blogue fantástico (de um amigo) que não me canso de ler, aqui fica a interpretação ao vivo, extraordinária de "Je t'aime" de Lara Fabian. Dá realmente vontade de nos juntarmos ao coro e cantarmos para quem amamos. Para ti, Jorge.


Quando são as próximas?

Tudo aquilo que é bom deveria ser interminável, mas não é. Há sempre uma altura em que termina. As férias são assim. Mas se há algo incomparavelmente bom e recomfortante na natureza humana é a memória. Aquela que nos permite manter bem vivos momentos que não ousamos esquecer. Estas férias, foram assim.

Hoje, quando me aproximava de casa, já depois de aterrarmos em Portugal, olhava para o lado e não via aquele com quem passei a semana mais maravilhosa da minha vida. E claro, "lamechas" como sou (não é Jorge?) lá me caiu uma lágrima. O coração apertava e parecia que já estava cheio de saudades... estranha sensação esta.

Tenho para mim que os cenários ideais são todos aqueles em que podemos desfrutar da companhia de quem amamos e talvez por isso tenha sido tão especial. Vi-me a desafiar "medos" que sempre me acompanharam ou a fazer coisas que tenho o rótulo de não gostar. Mas não foi por ti, foi por mim. Foi por acreditar mais em mim quando estou ao teu lado, foi por me sentir feliz por cada sorriso de "criança" que vi em ti, foi por sentir o meu coração a explodir de paixão por cada manifestação tua de alegria.

Confesso-te que, todas as noites, antes de adormecer, ficava-te a observar a dormir. Bem junto a ti, olhava os teus olhos, tocava a tua boca e sorria sozinho. E pensava que já não consigo viver sem ti e sem te ter ao meu lado. "Aturámo-nos" bem um ao outro e já conhecemos como ninguém cada um dos nossos defeitos.

Hoje é por ti que sorrio intensamente e é por ti que vivo tão feliz. Estas férias foram a melhor coisa que me podia ter acontecido. Adorei acordar e adormecer contigo, brincar que nem uma criança, rir muito e sentir-te meu, muito meu. Há peripécias que aconteceram que ficam para nós, mas que hoje me dão vontade de rir e muito. Coisas que me fazem ainda sentir mais unido a ti.

É um chavão lamechas dizer que te amo como nunca pensei, mas é a verdade. Amo-te muito, meu lindo. E só tenho de te agradecer cada sorriso e por andar tão feliz que não sou capaz de disfarçar. Estas férias, vou tê-las para sempre guardadas no coração e espero que sejam apenas as primeiras de muitas. São os 6 meses mais especiais da minha vida. E tu, és o culpado :)!


Isto é que é vida...

E cá estamos de férias, pena que o que é bom acaba sempre depressa e por isso nao tarda estaremos de volta ao nosso país.
Para já, resta-nos aproveitar ao máximo e o rescaldo é muito bom. Estamos a adorar tudo e principalmente o facto de podermos estar juntos :). Há tantas histórias para contar que terao de ficar para outras "núpcias".
Beijos e Abraços para todos e até breve,
C. e Jorge

Fon fon fon

Eu continuo por cá a trabalhar... E para animar um pouco, aqui fica uma música, que só me dá motivos para sorrir. É basicamente uma terapia.
Desde já aviso. É viciante. A letra é soberba, e juntando à melodia, é daquelas que ficam no ouvido. Não estranhem, por isso, se passerem o dia a cantarolar o "Fon fon fon" dos Deolinda.


Deixo-vos este link para poderem ouvir o CD completo dos Deolinda. Deliciem-se

Boas Ferias!


Eu e o meu lindo vamos de ferias. Umas merecidas ferias e espera-se que com bom tempo. Vamos com toda a certeza divertirmo-nos muito, pelo menos as expectativas sao altissimas. Beijos e Abracos e voltaremos em breve com as novidades quentinhas destas ferias calientes... Ate la, boas ferias!

Porque há dias para tudo...


... e porque há "tudos" que merecem ser comemorados. Não se esqueçam que no próximo dia 31 de Julho é dia mundial do orgasmo. Comemorem-no a preceito :)!


Unintended

Bandas Portuguesas

Nos últimos tempos tem havido um verdadeiro "boom" no que às bandas portuguesas diz respeito. Klepht, Classificados ou Perfume são apenas alguns dos exemplos. E curiosamente - uns mais outros menos - com qualidade.
Esta já faz "furor" também nos Tops Nacionais e é dos Sugarleaf.

Doente



Suspirar tanto tempo pelas férias e depois perceber que elas estão a passar comigo deitado numa cama à espera que as dores ou a febre passe, não é propriamente algo muito motivador. Pensar eu que os sorrisos e o júbilo pelo início de tão merecidas férias se tornaram agora em arrepios, em gemidos de dor ou em dificuldades até em falar, é de desesperar o mais calmo dos homens.

Estamos mal. Pior do que isso, um dia melhor outro dia pior. E o danado do calendário que continua a contar. Está mal. Era nestas alturas que ele deveria perceber que eu ainda não aproveitei nada e por isso na realidade isto não deveriam ser consideradas férias.

Em vez de um quarto com calções, t'shirts, bonés e toalhas de praia espalhados pelo chão, tenho comprimidos, géis e injecções a "enfeitá-lo".

Melhores dias virão. Espero. Deitado. Porque a febre não perdoa.

Breathe

Já terá mais de 10 anos esta música, mas eu sempre a adorei. É daquelas que conseguem provocar um sorriso mesmo num dia em que não acordamos de muito bom humor.