Filmes gay

O estereótipo de um filme gay é aquele que todos sabemos. Mas, nem sempre um filme que fuja ao habitual tradicionalismo tem de ser pornográfico ou sequer erótico. Pode ser apenas um filme de amor, daqueles que até são capazes de nos fazer cair uma lágrima sem que para isso nos devamos sentir envergonhados. "Summer Storm" é um desses casos. Um filme que descobri por acaso e simplesmente adorei. A história é simples, comum, mas toca. De origem alemã, "Summer Storm" foi lançado em 2004 produzido por Jakob Claussen. São 96 minutos de um amor impossível, mas de uma amizade que perdura para sempre. Um ensinamento de vida e um filme que não podes deixar de ver.
Fica aqui o "trailler" do filme. Um vídeo lindíssimo, acompanhado de uma música extraordinária, de Valerie Pinkston, com um título que dispensa explicações "Trick Of Fate". Quantos de nós, já não sofremos pelas partidas do destino?




Paixões erradas

Quem de nós não as tem? Talvez o termo não seja paixão errada, talvez nem sequer mereça que nos condenemos por ela. Todos, acabamos por ter uma, mais tarde ou mais cedo. Daquelas que nos magoam, daquelas que nos ferem, daquelas que nos fazem chorar "baba e ranho", por um amor impossível e jamais correspondido. Agora, juntem-lhe a isto um amor por alguém do mesmo sexo, quando toda a tua vida foi construída em cima de uma heterossexualidade que agora aprendas que era falsa. A vida parece desabar, não?

Dá vontade de desaparecer sem deixar rasto, de meter a cabeça na areia e esperar que a tempestade de emoções acabe. Já imaginaram duas dezenas de anos a pensar em raparigas, vários anos a pensar num namoro que tinha tudo para dar certo e, de repente, uma experiência ocasional (mas procurada) fazer tudo se alterar? As nossas certezas viram dúvidas, as nossas verdades absolutas soam agora a falso...

O nosso coração apaixona-se por alguém do mesmo sexo. Apaixonar-se ardentemente, de uma forma tão intensa que nunca imaginamos possível. Apaixona-se de uma forma tão forte, que sangra de cada vez que é ignorado. Apaixona-se de uma maneira tão assustadoramente arrebatadora, que nos faz chorar como nunca choramos, que nos faz sofrer como nunca pensamos sofrer.

Este sou eu. Alguém que se deixou cair numa teia, da qual ainda não se libertou totalmente. É apenas uma breve descrição de como a minha vida mudou e o meu rumo se alterou. Tinha-me, afinal, apaixonado pela improbabilidade e ainda não imaginava o que isso me iria doer. Era apenas o início de uma história em que sofri, mas em que encontrei amigos incomparáveis.

Um novo blogue, um novo amor, uma nova forma de vida

Nasce hoje, aqui - independentemente do lugar onde estamos um novo blogue. Sexual Feeling dá os primeiros passos e promete ser aquilo que os nossos leitores quiserem.
Pretendemos neste espaço falar de tudo sem rodeios, do amor na sua versão mais pura, na paixão tal e qual como a vivemos, sem tabus. Este blogue será escrito por homens que têm duas coisas em comum. Amam a vida, tal como ela é e amam também alguém do mesmo sexo.

Não, não pretendemos que o mesmo seja um blogue de desvarios "abixanados", mas de reflexão e de desabafo dos problemas porque passamos. Tudo aqui será relatado, os nossos amores e desamores, a nova vida, na sua essência. Sem nomes, porque são o que menos importam, mas com sentimento, o tal que nos corrói às vezes a alma, mas que, outras vezes, nos faz dizer: Amamos a nossa vida!

A vocês leitores, estejam atentos e deliciem-se. Há histórias incontáveis que vão passar por aqui, há problemas comuns que vão pairar nestas linhas. Será a vida de cada um de nós, contada em textos que prometem fazer-vos verter uma lágrima ou rasgar a face com um sorriso ou, até mesmo, fazer-vos corar de vergonha.
Até já!